Contato

Phone : 1 (800) 603-3519 USA
+5511 2291-4587 Brazil

terça-feira, 2 de abril de 2019

MEI pode receber aposentadoria com valor maior que o salário mínimo? Descubra

Aí está uma questão que é de grande interesse de todo e qualquer trabalhador e com o MEI não seria diferente: aposentadoria. Até porque, todo mundo se dedica durante anos e anos de trabalhado duro para que possa um dia usufruir desse trabalho, através de um descanso remunerado.
Mas, é claro que o descanso adequado só é possível, se o valor da aposentadoria for o suficiente para suprir os custos de vida do trabalhador. Por isso, o valor da aposentadoria é tão importante quanto o próprio direito de recebê-la.
Vamos discutir nesse artigo se o MEI se aposenta com salário superior ao mínimo e como ele deve proceder para que isso seja possível. Assim, você pode esclarecer todas as suas dúvidas e ficar por dentro do tema.

MEI tem direito a aposentadoria?

Sim! Dentre vários benefícios aos quais o empreendedor cadastrado com MEI tem direito, a aposentadoria é um deles. Por isso, é muito importante que o mesmo faça o recolhimento da guia DAS-MEI mensalmente, bem como a declaração anual DASN-SIMEI. Afinal, essas são as condições para que o empreendedor mantenha o seu cadastro como MEI em dia, e assim, possa usufruir seus benefícios.

Aposentadoria por idade

Para ter direito à aposentadoria por idade, é preciso considerar a idade mínima do trabalhador, conforme regras definidas pela Previdência Social. São elas: idade mínima de 60 anos para mulher e 65 anos para homem. Lembrando, porém, que além de alcançar a idade mínima, é necessário que o MEI tenha contribuído com a Previdência por no mínimo 15 anos.
Isso reforça o quanto é importante manter as contribuições mensais pagas em dia, através da guia DAS-MEI. Empreendedores individuais com pagamentos de guias em atraso poderão ter problemas não apenas para se aposentar, mas também para ter acesso aos outros benefícios.

Aposentadoria por invalidez

Para que o MEI tenha direito à aposentadoria por invalidez é preciso que o mesmo possua, pelo menos 12 meses de contribuição à Previdência Social. No entanto, para algumas doenças previstas em lei, não há tempo de carência, mas esses casos precisam ser analisados junto à Previdência, no momento de solicitar o benefício da aposentadoria.

MEI se aposenta com salário superior ao mínimo?

É preciso ter em mente que o valor recolhido na guia DAS-MEI mensal, é fundamental para determinar o quanto o mesmo receberá na aposentadoria. A contribuição mensal e comum do MEI é feita na alíquota de 5% do salário mínimo, e essa contribuição não dá direito à aposentadoria por tempo de contribuição e nem a um valor de aposentadoria superior ao salário mínimo.
Mas, a boa notícia é que o MEI pode realizar pagamentos complementares dessa contribuição mensal. Assim, ele poderá ter acesso a valores de aposentadoria maiores do que o salário mínimo, de acordo com as contribuições que fez a mais. Para efetuar esses pagamentos deverá pagar a GPS – Guia da Previdência Social separadamente ao INSS, com uma contribuição de mais 15%. Com essa contribuição complementar o MEI poderá se aposentar por tempo de contribuição, além de aumentar o valor do seu benefício de aposentadoria.
No entanto, procure uma agência do INSS ou mesmo o seu contador, para se informar sobre o tempo necessário de contribuições complementares para que você possa ter acesso a um valor maior de aposentadoria, do que um salário mínimo. Afinal, não é apenas com uma contribuição complementar que você já terá direito.


terça-feira, 5 de março de 2019

5 enganos para não cometer ao começar seu caminho nos investimentos









5 enganos para não cometer ao começar seu caminho nos investimentos








Não tem como: para se planejar para fazer uma grande aquisição financeira, como a compra de um carro ou de um imóvel, por exemplo, é preciso, primeiro, poupar e investir seu dinheiro. Nesse artigo, eu quero contar um pouco para vocês sobre os principais erros que as pessoas cometem quando começam a entrar no mundo de investimento e como tentar evitá-los.

1 – Não entender o básico do investimento que pretende fazer

Rentabilidades vantajosas passam pela necessidade de buscar conhecimento e informações sobre os investimentos que melhor vão ao encontro do perfil e aos objetivos de cada um. Informe-se, pergunte, saiba das condições básicas para não se frustrar.
Indiscutivelmente, várias aplicações contam com uma composição mais complexa, como os fundos de investimentos, por exemplo, que muitas vezes possuem estratégias bastante sofisticadas. Claro que uma pessoa comum nem sempre vai saber todos os detalhes estratégicos, mas não significa que o entendimento de seu funcionamento básico deva ser dispensado.

2 – Planejar para o curto prazo com investimentos de longo prazo

Um dos primeiros passos para o sucesso nos investimentos é estabelecer as metas em todos os cenários, seja no curto, no médio ou no longo prazo. Olhar apenas o curto prazo é uma tendência que pode ser bastante danosa.
O foco no curto prazo deve ser consciente e envolver expectativas dentro da realidade. Normalmente, investimentos com maior potencial de rentabilidade exigem períodos mais longos de aplicação, ou riscos mais elevados. Consultar um assessor de investimentos pode ajudar muito para entender se seus prazos e objetivos estão adequados ao investimento feito.

3 – Desfazer de posições após grande queda

O susto ao ver o patrimônio caindo leva muitos investidores, especialmente os iniciantes, a tomar atitudes impulsivas. É importante se perguntar os motivos dessa queda: se é um investimento que tem como proposta uma volatilidade mais alta, se é algo fora da normalidade histórica, se é um produto com alta capacidade de recuperação ou deriva de outros fatores.
É essencial pensar em muitos pontos. Normalmente se desfazer de posições em momentos de baixa representam uma perda ainda maior. Além disso, é imprescindível entender seu perfil de risco e conhecer o ativo antes de aplicar em produtos que possam ter volatilidade mais elevada.

4 – Pressa nas operações

Muito relacionado ao erro anterior, a pressa é uma grande inimiga do sucesso. O investidor iniciante, que normalmente entra no jogo em busca de altas rentabilidades em pouco tempo, acaba sendo surpreendido pelas volatilidades do mercado, principalmente com as perdas.
Apostar todas os ovos em uma mesma cesta é um erro muito comum e que normalmente está associado a ansiedade de encontrar “a grande oportunidade do mercado” e pode trazer consequências graves.

5 – Tomar decisões influenciado apenas por rumores ou emoções

As emoções geralmente estão muito longe de serem um bom norte na tomada de decisões quando o assunto são investimentos. Quando falamos de investimento uma boa dose de racionalismo e sangue frio é sempre bem-vinda.
As vezes escutar recomendações de algum vizinho ou parente, ou ler manchetes nos jornais de algum assunto que tenha ganhado mídia pode nos conduzir a erros crassos e a verdadeiras furadas. Assim, como falamos anteriormente, é muito importante que você pesquise, estude e informe-se acerca do investimento para que evitar frustrações futuras.
Leonardo Covello
Leonardo Covello:
Leonardo Covello é formado em Relações Internacionais pela Universidade de São Paulo (USP), com parte de sua graduação realizada na Universidade St. Gallen, Suíça. Trabalhou no RI do Itaú e na corretora da Goldman Sachs. Hoje é assessor de Investimentos do BTG Pactual digital